11 melhores aplicativos para estudar para o ENEM

11 melhores aplicativos para estudar para o ENEM

Que a internet é um ótimo lugar para a gente relaxar e se divertir, você já sabe. Ela também pode ser um poço de distrações na hora de estudar, vista como inimiga número um quando o assunto é estudar para o Enem. Mas não precisa ser uma batalha. A internet também nos oferece uma série de opções que podem nos ajudar e muito no estudo.Confira abaixo 15 aplicativos melhores aplicativos para estudar para o Enem.

 

1. AppBlock

É muito fácil nos distrairmos quando estamos mexendo no celular ou acessando a internet. Por isso, o primeiro aplicativo é o AppBlock, disponível para Android. Ele basicamente irá bloquear o seu acesso a redes sociais e ao que você mais escolher no período que você estiver estudando. Mas não adianta dar uma de espertinho e acessar a esses sites pelo computador, hein?

2. Brain Focus

O segundo aplicativo, também nessa linha de afastar as distrações, é o Brain Focus. Ele também está disponível para Android. Baseado na técnica de Pomodoro, ele divide o seu tempo de estudos em ciclos de foco e pausa configuráveis. Ele oferece a opção de bloquear sua internet e gerar relatórios de quantas horas você estudou e quantas descansou. Legal, né?

3. Quase Lá

A terceira dica é o Quase Lá, disponível para Android e iPhone. Ele oferece questões das provas passadas,  simulando a pressão do prazo de resolução. Para dar início é necessário escolher qual das categorias você deseja responder: Hiperativo, Normal, Quase lá, Completo ou Missão Impossível.

4. App Prova

O quarto aplicativo é o App Prova, também disponível para os dois sistemas operacionais. Desenvolvido por professores mineiros, esse aplicativo conta com nada menos que nove mil questões para você estudar para o Enem. O grande diferencial é que ao errar uma questão, ele lhe informa qual é a resposta certa e qual conteúdo você precisa revisar para ficar craque no assunto.

5. Geekie Games ENEM

A quinta dica é o Geekie Games ENEM. O aplicativo disponível para Android conta com mais de 5500 exercícios que identificam o que você sabe o que você não sabe, além de questões de edições passadas do Exame. A plataforma é credenciada pelo MEC e Inep, ainda por cima.

6. Enem 2016 Simulado Gabaritando

O sexto aplicativo é o Enem 2016 Simulado Gabaritando, disponível para Android e iPhone. Ele traz coleções de provas dos anos anteriores para os estudantes se prepararem para o Enem, além de vídeos de alguns canais do YouTube, com explicações e aulas sobre os mais diversos temas das principais matérias da prova.

7. Gabaritar

A sétima dica é o Gabaritar, feito para organizar tarefas, registrar rotinas de estudos e acompanhar seu desempenho em cada disciplina. Ele está disponível para Android e iPhone.

8. Wunderlist

Ainda nessa linha de organização, o Wunderlist lhe ajuda a concentrar suas listas de tarefas, podendo definir prioridades, datas de entrega e receber lembretes de quando aquela atividade está prestes a acabar. Ele está disponível para Android, iPhone e até para seu computador.

9. Google Keep

Com um objetivo muito parecido com o Wunderlist, o Google Keep é nossa nona dica. Ele também serve para organização de listas de tarefa, oferecendo opções de anotações rápidas, gravação de áudio e desenhos. Ele está disponível para Android.

10. G1 ENEM

O décimo aplicativo é o G1 ENEM, disponível para Android e iPhone, ele também vai lhe ajudar a estudar melhor, com perguntas, vídeos e notícias sobre a prova.

11. Pense+ENEM

A décima primeira dica é o Pense+ENEM, disponível para Android e  iPhone. Ele reúne uma série de questões antigas das provas para você testar seus conhecimentos.

Para além das dicas que demos aqui, existem muitas outras na internet esperando ser descobertas! Lembrando que ferramenta nenhuma faz milagre, por isso é importante nunca se esquecer de que é necessário sempre muito foco e dedicação para estudar para o Enem.

6 dicas fáceis para você conseguir dormir e acordar cedo

6 dicas fáceis para você conseguir dormir e acordar cedo

Muito tem se falado sobre os benefícios de acordar cedo para se ter mais disposição, levar uma vida mais saudável e até para melhorar o desempenho nos estudos. O que é quase natural para algumas pessoas, pode ser um desafio enorme para outras. Seja porque você precisa, ou só porque quer experimentar os benefícios desse hábito, confira abaixo 6 dicas para lhe ajudar a conseguir dormir e acordar cedo.

 

1. Entenda seus motivos

Primeiro de tudo, você precisa saber os motivos que estão por trás de você querer acordar cedo. É por que você realmente precisa e quer ou só porque todo mundo fala que é melhor? Algumas pessoas têm que dormir mais tarde por conta de uma série de fatores, como chegar tarde em casa depois do trabalho ou cursinho.

Se você, por algum motivo, precisa dormir mais tarde e não tem restrição de horário na parte da manhã, talvez seja melhor ter umas horinhas a mais de sono. É mais vantajoso do que dormir muito pouco porque todo mundo fala que é certo.

Agora, se você não precisa dormir mais tarde ou simplesmente não quer, saiba que existem uma série de benefícios de acordar cedo. Uma pesquisa da Universidade de Roehampton, no Reino Unido feita com 1000 voluntários apontou que pessoas que acordam cedo são mais magras, mais felizes e mais saudáveis do que aquelas que usam a manhã para dormir um pouco mais. Acordar cedo também permite você planejar melhor o seu dia e se sentir mais disposto para as tarefas.

 

2. Crie um hábito

Tentar dormir e levantar sempre no mesmo horário é uma ótima forma de criarmos uma rotina. Isso torna a tarefa de acordar cedo muito mais fácil. No início o seu corpo pode até estranhar. Mas com o tempo vai se tornar uma coisa cada vez mais natural para você.

Se no seu caso é impossível conseguir, tente pelo menos sempre ter uma quantidade fixa de horas de sono toda noite. Isso já ajuda bastante o seu organismo a se acostumar a desenvolver esse hábito.

 

3. Relaxe

Mas não é fácil assim, né? Existe uma série de distrações no mundo e coisas que temos que fazer que tiram nossa concentração. Tudo isso torna a tarefa de dormir mais cedo um desafio. Se você passa por esse problema de não conseguir ir para a cama no horário que deveria ir, algumas dicas podem lhe ajudar.  

Algumas delas são evitar cafeína e exercícios pesados antes de dormir. Essas coisas podem lhe deixar agitado demais e afastar sono. O cuidado com o seu quarto também é importante. Variações de temperatura e o excesso de luz também são inimigos de uma boa noite de sono.

 

4. Evite celular e computador na hora de dormir

A luz branca e azulada do computador e celular são estimulantes e tiram o sono. A dica é evitar usar esses dispositivos logo antes de dormir. Caso você realmente precise usá-los ou não consiga ficar sem, contar com o auxílio dos aplicativos que diminuem a presença dessa luz é uma boa. Alguns exemplos são o Twilight para Android, a opção night shift do iPhone e o f.lux, para o computador.

 

5. Não confunda as coisas

Outra coisa que também pode lhe atrapalhar é usar a cama para estudar, assistir TV ou ler. Se você usa sua cama para tudo menos dormir, o seu cérebro terá dificuldades para associá-la a um estado de sono e repouso.

Quando estiver perto da hora de dormir, comece um ritual de relaxamento. Vá desacelerando, diminuindo as luzes e finalizando as tarefas que exigem muita atividade mental. Uma dica é colocar no seu alarme o horário que você deve iniciar o processo. Assim, você não corre a tentação de passar uns minutinhos ou horinhas a mais no computador.

 

6. Marque um compromisso para acordar cedo

Para os dorminhocos que não conseguem acordar cedo por nada, uma atitude que pode lhe ajudar é definir compromissos logo pela manhã que lhe forcem a levantar nesse horário. Coisas como uma corrida com um amigo ou comprar pão para sua mãe. Se você não tiver nada assim, comece a tratar o estudo como um compromisso. Marque na agenda e tudo! Aquela hora você deverá estar pronto e acordado para estudar aquela matéria.

Criar novos hábitos não é uma tarefa fácil, mas também não é impossível. É importante você sempre se lembrar dos motivos pelos quais você está querendo acordar cedo. Comprometa-se com seu objetivo! O sucesso nunca vem sem esforço e muitas vezes ele depende em grande parte de você.

4 dicas de como fazer resumo e anotações mais eficientes

4 dicas de como fazer resumo e anotações mais eficientes

Existem vários tipos de pessoas quando o assunto é fazer anotações e resumos. Aquelas que notam absolutamente tudo que o professor passa no quadro, as que não anotam nada e ainda as que fazem anotações mas nunca mais sequer olham para elas. Seja qual for seu tipo, saiba que anotações e resumos podem ser grande aliados para seus estudos do Enem. Eles poupam tempo e lhe ajudam no processo de memorização da matéria. Por isso, confira 4 dicas de como fazer resumo e anotações mais eficientes.  

 

1. Evite transcrever a matéria

A primeira recomendação de todas é nunca copiar exatamente o que o professor está falando na sala de aula ou o que está escrito no livro. Quando você faz isso, está na verdade apenas transcrevendo aquele conteúdo, muitas vezes sem se quer entender o que aquilo significa. Essa não é a melhor maneira de como fazer resumo. Quantas vezes você foi rever suas anotações e não entendeu o que aquilo queria dizer?

 

2. Escreva com suas próprias palavras

Escrever com suas palavras é muito mais rápido e eficiente. Além disso, ajuda a memorizar aquele conteúdo e a de fato forçar sua capacidade de compreensão. Você só vai conseguir anotar ou resumir aquele trecho ou aula se tiver mesmo entendido. Assim, você já consegue identificar bem antes quais são suas dúvidas e pontos de melhoria. E não somente quando falta um dia para a prova e você precisa estudar aquela grande quantidade de informações.

 

3. Mantenha seus resumos organizados


Outra dica muito importante é manter suas anotações e resumos organizados. Não adianta nada você ter preparado tudo certinho se depois você nunca mais achar esse conteúdo na hora da revisão. Saber como fazer resumo e manter suas anotações organizadas é ainda mais importante no Enem. Dessa forma, não será preciso rever antes da prova algumas matérias que você viu só lá no início do ano. Imagina se quando chegar o momento de relembrar aquele período histórico que você aprendeu lá em janeiro você tiver que reler toda a matéria dos livros tudo de novo?


Algumas coisas podem lhe ajudar nisso. Alguns exemplos são pastas divididas para cada matéria e aquelas de tipo sanfonadas, onde você pode guardar seus cartões de revisão. Sistemas de armazenamento online, como o Google Drive e o Dropbox também são boas dicas, já que você pode acessar de qualquer lugar e não corre o risco de perder se o seu computador estragar ou precisar ser formatado, por exemplo.

 

4. Conheça os métodos de como fazer resumo

Além da organização e evitar a transcrição literal do que o professor falar, é uma boa dica você experimentar diversos métodos como fazer resumo e anotações até encontrar o que se encaixa melhor para você ou para aquela matéria específica.

 

  1. Tópicos

O primeiro método é um dos mais comuns, e muito usado em anotações por aí. Nele você divide a matéria por tópicos e subtópicos, conforme você vai se aprofundando mais e mais.

 

b) Cornell

O segundo é o método de como fazer resumo é o de Cornell. Nele você divide a folha em três partes, onde cada espaço possui uma função. Na maior parte, você irá fazer suas anotações normalmente. Na coluna da esquerda você irá dividir aquelas anotações em tópicos, perguntas e palavras-chave, o que funcionar melhor para aquela matéria. Já na parte de baixo, você escreverá um resumo daquela anotação, o que irá lhe ajudar a identificar facilmente depois sobre o que ela se trata.

c) Mapa Mental

O terceiro método é o mapa mental. Nele você irá partir de um tema central e ir criando com setas subdivisões, tal qual uma teia ou rede de conteúdos. Ele permite a rápida associação de uma maneira mais livre daquele conteúdo e pode ser bastante útil se você utilizar diversas cores e fazer o uso de ilustrações.

 

d) Revisão Comprimida

O quarto método é o da revisão comprimida. Nele você usa apenas uma folha por sessão de estudos, o que te obriga a comprimir as suas ideias. Para isso, você já deve começar o estudo com um objetivo em mente: o que eu preciso aprender com isso? Se for um conteúdo que cai no Enem, quais são as partes que mais caem nas provas? Se for uma matéria que você tem dificuldades, quais delas você deseja superar?

Com isso em mente, você se concentra só naquilo que for mais importante. Não use mais do que uma única página e escreva seu texto em pequenos blocos de texto, facilitando a visualização e comprimindo o conteúdo em pequenos assuntos por vez.

e) Fichas-resumo

O quinto e último método são as fichas-resumo. Tal qual a revisão comprimida, nós aproveitamos a falta de espaço do papel para nos obrigar a sintetizar as ideias. O legal dessas fichas é que você pode levá-las para todo lugar e fazer revisões sempre que tiver tempo. Você pode tanto comprar elas prontas na papelaria, quanto fazer as suas próprias.

 

Seja qual for o método que você vai escolher, você precisa ter em mente quais são os seus objetivos com aquela anotação e como fazer resumo pode lhe ajudar. Lembrando que não existe técnica ou método certo ou errado, mas aquele que se encaixa nas suas necessidades e funciona para você!

Como ter foco nos estudos e se livrar de uma vez por todas da procrastinação

Como ter foco nos estudos e se livrar de uma vez por todas da procrastinação

Entre os muitos obstáculos enfrentados por estudantes que estão na fase de preparação para o Enem, a procrastinação e a falta de foco são alguns dos mais citados. Que atire a primeira pedra quem nunca enrolou para começar a estudar. O que não faz grandes estragos se for um comportamento isolado, pode comprometer completamente o seu rendimento e o alcance dos seus objetivos se virar hábito. Para evitar isso, confira como ter foco nos estudos e se livrar de uma vez por todas da procrastinação.

 

De olho nas causas

Uma das principais causas para a dificuldade de começar a estudar é a falta de foco nos estudos. Você senta em sua mesa, pega tudo o que é preciso, mas não consegue se concentrar de jeito nenhum. Quando percebe, já está pensando no que poderia ter dito naquela discussão de dias atrás. Ou então se perdeu no primeiro vídeo de gatinhos na internet.

Muitas pessoas desconfiam que podem até mesmo a ter algum tipo de transtorno, como o Déficit de Atenção. Mas antes de se autodiagnosticar, é muito importante procurar a ajuda de um médico. Não tome nada para “turbinar a sua concentração” só porque um amigo lhe indicou. A verdade é que, embora existam sim pessoas que sofram disso, a maioria de nós só possui um problema com foco.

 

Por que perdemos o foco nos estudos

Mas por que nós perdemos o foco? Um dos motivos mais comuns é a ansiedade. A diferença entre hoje e àquelo que desejamos no futuro nos deixa ansiosos e inquietos. Temos uma tendência de preferir os prazeres momentâneos e as coisas que são visíveis para nós agora. Isso tudo ao invés de atividades que só trarão um retorno no futuro.

Além da ansiedade de não termos nos tornado ainda a pessoa que queremos ser, existem hoje uma série de distrações que tornam uma tarefa quase impossível se concentrar em uma coisa só. O mundo ficou mais rápido e dinâmico. É normal você estar falando com seu amigo, ouvindo uma música, assistindo a um vídeo engraçado e ainda estar com várias abas do navegador abertas. Tudo ao mesmo tempo.

Por isso, estamos cada vez mais acostumados a competir nossa atenção com várias coisas. E também a ter foco por períodos cada vez mais curtos de tempo.

 

Uma coisa de cada vez

O problema é que o cérebro não funciona assim. Dedicar-se a várias tarefas ao mesmo tempo ou ser interrompido várias vezes, seja por aquela mensagem no celular ou ligação de um amigo, compromete totalmente seu foco nos estudos.

Segundo estudos da Universidade da Califórnia, estima-se que demore uma média de 23 minutos para retomar a concentração no que você estava fazendo depois de uma interrupção. Agora imagine isso várias vezes em um dia. Não é à-toa que muita gente reclama que passa o dia inteiro sentado estudando mas não conseguiu aprender de fato muita coisa.

Para evitar sofrer com isso, primeiro nós precisamos manter a nossa atenção no presente. Não para aquela festa incrível que vamos no final de semana. Ou como vai ser o dia de aula amanhã. Você está preso no hoje e hoje você precisa estudar se quer atingir os seus objetivos.

Outra dica é usar técnicas que lhe ajudem a se manter concentrado em apenas uma tarefa e controle seu tempo de pausa. Um deles é o Pomodoro. Nela dividimos nosso estudo em ciclos de 25 minutos com pausas rápidas entre eles e uma interrupção mais longa ao final de uma sessão.

 

Deixando tudo para depois

Caso o seu problema não seja somente o foco nos estudos, mas realmente conseguir ter a força vontade necessária para começar a estudar, você pode estar enfrentando um problema de procrastinação. Procrastinação significa deixar para depois coisas aquilo você deveria ou poderia estar fazendo agora.

É como quando se tem um trabalho muito importante para entregar mas não faz ele até que falte apenas um dia. Ou às vezes só algumas horas, para entregá-lo. O pior de tudo é que, além de não fazermos o que deveríamos fazer, nós passamos o tempo todo nos sentindo ansiosos e angustiados por conta disso. Você pode até estar assistindo a um filme ou jogando seu videogame preferido, mas ficar constantemente pensando que deveria estar estudando.

 

Por que procrastinamos

Existem diversas razões por trás da procrastinação. Entender elas é um bom caminho para aprender a superá-la. Os principais motivos normalmente são a falta clareza sobre qual é o objetivo final, a inexistência de data limite https://www.acheterviagrafr24.com/prix-du-viagra/ para a finalização, complexidade da tarefa e a falta de cobrança. É preciso saber o que está faltando e criar formas de solucionar esses pontos.

Sabe aquela matéria que você sempre enrola para estudar? Pense sobre tudo o que vem na sua cabeça quando você pensa que precisa vê-la. Identificar a razão por trás disso é uma maneira de superar a procrastinação. Pode ser porque você considera aquele conteúdo chato demais. Ou então porque você não montou um cronograma de estudos para inserir ele ou até mesmo porque falta motivação.

Seja qual for o motivo, a palavra-chave é autoconhecimento. Nós precisamos saber quem nós somos, o que nos motiva e desmotiva. Ter claro quais são nossos medos e anseios, o que bloqueia o nosso foco nos estudos e nossa força de vontade. Só assim podemos traçar maneiras de superar isso e retirar da nossa frente tudo que nos deixa mais longe da realização do nosso sonho.

 

E aí, pronto para superar essa foco nos estudos? Então nada de enrolar depois de ler esse texto, hein?

Gestão do tempo nos estudos: aprenda a se organizar

Gestão do tempo nos estudos: aprenda a se organizar

Tem muitos momentos em nossa vida em que achamos que o tempo está passando rápido demais. Por mais que nos esforcemos, parece impossível encaixar tantas atividades em um dia só. E aí ficamos com a sensação de que não vamos dar conta. Mas a verdade é uma só: todos nós temos as mesmas 24h diariamente. Então por que algumas pessoas parecem fazer muito mais coisas eu que nesse mesmo período? Simples, elas sabem administrar melhor sua rotina. Se você quiser se tornar também uma delas, confira abaixo as dicas de de gestão do tempo e como aprender a se organizar.

 

Não existe gestão do tempo

A primeira coisa que precisa ficar clara é de que é impossível haver uma gestão do tempo. Nós não temos o poder de controlá-lo. Tudo o que conseguimos fazer é administrar as atividades que temos no tempo que nos é disponibilizado.

A partir disso, muda um pouco a forma como encaramos a organização ou a nossa “gestão do tempo”. Mudamos o foco para as atividades que realizamos. Dessa forma, a maior falha que temos é na organização das nossas tarefas. E é isso que precisamos melhorar.

Se você quer gastar o seu tempo de uma maneira mais eficiente, você deve aprender a administrar melhor suas atividades. Assim, os sistemas de gestão do tempo dependem muito capacidade de organizar as coisas.

 

Aprenda a se organizar

Se você quiser aprender a organizar suas atividades e conseguir usar o seu tempo de uma maneira muito mais inteligente, a primeira dica é: anote tudo o que você tem que fazer. Tudo mesmo. Levar cachorro para passear, ir ao banco, fazer compras com a mãe, estudar física, responder a um e-mail. Não importa. O importante é ter todas as coisas que você tem para fazer anotadas.

Depois que tiver feito suas anotações, é hora de encurtar essa lista. Uma das coisas que mais desanimam na hora de organizarmos as atividades é encarar uma lista gigante de coisas a fazer. Você fica com a impressão de que são tarefas demais e que você não dará conta. Mas a verdade é que a maioria delas poderia ser resolvida facilmente.

Para resolver esse problema, marque nela tudo o que demora menos de dois minutos para ser feito. Depois, simplesmente faça essas coisas logo após. Com essa atitude, você pode reduzir a quantidade de coisas para fazer ao tirar coisas que são tão rápidas de resolver que nem deveriam estar ali.

Às vezes nós empurramos à-toa coisas desnecessárias por dias e dias. Isso nos gera desânimo, ansiedade e um sentimento de frustração. Por isso, sempre que tiver algo para fazer e for fácil de ser resolvido, evite enrolar! Assim, sua mente e energia ficam livres para se preocupar com o que realmente importa.

Depois dessa limpeza, restam em sua lista as coisas que realmente gastam um pouco mais de tempo para ser feitas. A partir desses itens restantes, chegou a hora de priorizar.

 

Saiba priorizar

Ao organizar suas atividades você deve sempre pensar no contexto delas. Se você estuda à tarde todos os dias, então você não vai marcar de levar o cachorro pra passear nesse horário, não é? Sendo assim, pense no que realmente é importante para você e respeite sua prioridade e hora de acontecer. Momento de estudo é para estudar e não marcar de sair com os amigos ou dar aquela soneca. Se você realmente quer tirar uma boa nota no Enem precisa ter isso em mente.

Uma dica valiosa é tentar fazer tarefas repetitivas sempre no mesmo horário. Se você precisa tirar o lixo de casa para sua mãe, tente sempre fazer isso na mesma hora. Assim, você começa a criar um hábito e poupar energia mental, uma vez que essa ação se tornará mais natural com o passar do tempo. O nosso cérebro tem a tendência de formar padrões e facilitar a realização daquilo que fazemos com alguma constância. https://www.acheterviagrafr24.com/viagra-pas-cher/

A mesma coisa deve ser feita com os estudos. Tente iniciar e terminar uma sessão sempre no mesmo período. Assim, você começa a criar uma rotina que irá tornar sua vida muito mais fácil. No blog você encontra mais textos sobre o assunto.

Por último, e não menos importante, uma dica bem simples pode ser essencial para você alcançar o sucesso no gerenciamento de suas atividades. Mantenha suas listas sempre no mesmo lugar. Algumas pessoas têm o costume de usar agenda, anotar no Google, coloca no celular, escrever em post-it e quando vê, continua perdida do mesmo jeito. Não adianta organizar as tarefas que você tem para fazer se depois você não souber quais são, não é mesmo?

 

Agora que você já sabe um pouco mais sobre gestão do tempo, que tal se tornar a partir de hoje uma pessoa mais organizada? Garantimos que não vai se arrepender!

Como ter motivação para estudar para o Enem

Como ter motivação para estudar para o Enem

Uma coisa que todos os estudantes que estão se preparando para entrar em uma faculdade vão enfrentar pelo menos uma vez é a falta de motivação para estudar. Enquanto alguns dias se tem ela de sobra, em outros o estudo se torna simplesmente a pior coisa do mundo que poderíamos fazer. O caminho para o sucesso exige consistência e dedicação. Por isso, confira abaixo como encontrar motivação para estudar para o Enem.

 

Mecanismos da motivação para estudar

Imagine que você acabou de chegar em casa cansado depois da escola ou do trabalho e resolve se deitar alguns minutos no sofá para descansar. De repente, tudo no mundo parece ser melhor e mais prazeroso do que levantar e ir estudar. O que você faz?

Algumas pessoas respiram fundo, levantam, lavam o rosto ou tomam um banho e se sentam para estudar. Já outras simplesmente não conseguem encontrar essa força de vontade. E aí elas ficam por ali mesmo, vendo televisão, mexendo no celular ou fazendo qualquer coisa que não seja o estudo que tinham programado. Por que será que isso acontece?

A palavra motivação vem do latim movere, que significa “mover”. Fazendo uma analogia, podemos entender que ela é uma espécie de impulso que nos leva para a ação. E, segundo as leis da física, onde há impulso, há força.

No caso da motivação, duas forças principais são as responsáveis por esse fenômeno: a da dor e a do prazer. É um mecanismo de sobrevivência do ser humano. É ele que faz com que busquemos a satisfação e evitemos situações de dor, que nós instintivamente associamos com risco de vida. Por isso, existe uma tendência de desmotivação quando antecipamos algum desconforto ou dor.

 

O que há por trás

O que faz com que muitos estudantes não queiram estudar é a associação do estudo com uma tarefa dolorosa, chata e desconfortável. Por sua vez, atividades que estão relacionadas com necessidades, vontades e desejos são realizadas de forma muito mais natural. Se você estiver com muita fome, não precisa de uma grande motivação para ir comer.  Assim como não existe muito esforço por trás de se fazer algum hobby ou atividade que lhe dá prazer.

Então, se você tem muita dificuldade em começar uma sessão de estudos, é possível que esteja fazendo as associações erradas. Não é suficiente relacionar o estudo com aprovação e falta de estudo com reprovação. Você precisa realmente mostrar para seu cérebro claramente o que o estudo irá lhe proporcionar.

Isso não significa somente tirar uma nota boa no Enem. Estamos falando de passar no curso que sempre quis, cumprir seu propósito de vida, deixar seus pais orgulhosos ou qualquer outra coisa que realmente lhe motive. Pare e pense: qual é realmente o motivo pelo qual eu quero ir bem no Enem.  Lembre-se sempre disso na isso na hora da desmotivação.

 

Enfrentando as consequências

Além de ter claro quais as razões por trás de você ter escolhido o estudo, você precisa saber o que vai acontecer se você não estudar. E isso vai muito além do que somente não ser aprovado. Estamos falando em se sentir que você não é capaz. Que você não vai poder ter sua profissão. Ou então que irá decepcionar sua família, ou qualquer coisa que faça o seu calo doer.

É lógico que sua vida não vai acabar se você não passar no Enem dessa vez. Mas nesse momento você precisa se apegar a isso com todas as forças para que seu cérebro entenda por que não estudar não é uma opção.

Agora que você já sabe qual é sua motivação para estudar, é preciso encontrar uma maneira de sempre renová-la! É preciso trabalhá-la todos os dias se você quer realmente ter sucesso no Enem. Segundo o autor americano Zig Ziglar: “As pessoas costumam dizer que a motivação não dura sempre. Bem, nem o efeito do banho, por isso recomenda-se diariamente”.

Deixe de maneira visível, de preferência no seu local de estudos, quais são seus objetivos e sonhos mais ousados. Coloque frases de motivação para estudar no seu alarme para ler logo quando acordar de manhã. Tenha um plano claro de como você vai chegar ao seu objetivo e se mantenha fiel a ele. Assim, sempre que você se sentir desmotivado terá um lembrete do porquê você realmente está ali.

 

E aí, sentindo mais motivação para estudar? Sacode a poeira que nós temos uma prova do Enem para passar!

Rotina de estudos: aprenda a criar definitivamente esse hábito

Rotina de estudos: aprenda a criar definitivamente esse hábito

Você tem o hábito de estudar todos os dias? Conseguir estudar diariamente pode ser considerado o sonho de grande parte dos estudantes que estão se preparando para o Enem. Mas, para muitos, isso parece uma meta inalcançável. É comum se perguntar como algumas pessoas simplesmente conseguem e outras não. Se você quiser usar o poder do hábito ao seu favor e criar de uma vez por todas uma rotina de estudosleia nossas dicas abaixo.

 

Força de vontade

Quando vamos justificar porque uma pessoa consegue fazer consistentemente alguma coisa que nós mesmos não conseguimos, como é o caso de estudar todos os dias, a primeira coisa que respondemos é: ela tem muita força de vontade. Só que a verdade é que o que geralmente faz com que essas pessoas consigam ter uma rotina de estudos tão organizada não é a força de vontade e sim o hábito.

Se você quiser uma rotina constante de estudos, precisa pensar em desenvolver hábitos. E não somente sua força de vontade. O porquê é simples: criar um hábito é necessário porque a força de vontade não é confiável. Quer um exemplo?

 

Guarde a sua bateria

A força de vontade é igual a bateria do seu celular. Você necessita dela para poder desempenhar as atividades que se propõe. Quando ela acaba, também se esgota sua capacidade de executar as coisas que planejou. Durante o dia, nós somos expostos a uma série de situações que acabam gastando nossa força de vontade quase toda. Quando chega à noite, tudo o que queremos é o conforto da nossa cama.

A correria do dia a dia, o estresse que passamos por coisas que acontecem em nossa vida, os altos e baixos emocionais, tudo isso gasta um pouco (ou muito) da nossa força de vontade.

Quando você tem que acordar cedo, você já gasta um pouquinho da bateria. Aí você quer comer chocolate no café mas lembra que está de dieta e gasta mais um pouco de energia para conseguir resistir. Depois, você discute com alguém ou fica triste com algo e lá se vai mais um pouco da sua força de vontade.

 

Não deixe o estudo para depois

Estudar nem sempre é visto como prioridade e, por isso, fica ali esperando quanto de energia irá sobrar para ele. Convenhamos: a triste realidade é que quase nunca sobra nada. Agora pare um pouco e pense na importância do estudo e de tirar uma boa nota no Enem. Responda a si mesmo: dá pra confiar só na nossa força de vontade?

A sua resposta provavelmente deve ter sido que não. E é por esse motivo que precisamos criar o hábito de estudar. Quando algo vira um hábito é como se você não tivesse mais que gastar energia da sua bateria para aquilo. É tão rotineiro que você simplesmente aceita e faz independente de fatores externos.

Você não deixa de escovar os dentes só porque acordou cedo ou então está meio triste não é mesmo? É um hábito. É possível transformar a rotina de estudos em algo assim. Ele se tornará um hábito onde você gasta menos energia mental para fazê-lo.

 

Como criar novos hábitos

Mas como transformar estudar em um hábito e criar uma rotina de estudo? Como toda a teoria, parece mais fácil falar do que fazer. Mas com algumas poucas dicas é possível tornar esse processo muito mais fácil.

1. Estabeleça uma meta

A primeira dica é divulgar para si mesmo sua meta. Isso pode lhe ajudar tanto em relação à força de vontade quanto a criar um hábito. Pense assim: sua rotina de estudos é a forma que você tem de alcançar algum sonho, não é? Pode ser fazer aquele curso em alguma faculdade, torna-se um profissional capacitado ou até mesmo a vontade de ter um determinado salário. Lembrar a você mesmo os benefícios que você ganha ao estudar todos os dias o ajudarão a não desanimar.

2. Lembre-se do seu objetivo

Para isso, que tal colocar no seu ambiente de estudos uma lembrança do seu objetivo? Você pode colocar a foto da faculdade dos sonhos, algo que faça você recordar o profissional que deseja se tornar ou qualquer coisa que sirva para lhe dar ânimo quando estiver difícil encarar o estudo.

Isso vai lhe ajudar a transformar o estudo em um hábito, uma vez que você estará aprendendo a pensar no longo prazo, criando uma recompensa mental que lhe ajude a manter o foco do porquê aquele esforço vale a pena.

3. Priorize a sua rotina de estudos

Encare o estudo como uma atividade nível ômega. Existem coisas que são vitais e que somos ensinados a não abrir mão justamente por terem um grau de importância tão alto. Elas podem ser chamadas de atividades nível ômega. Alguns exemplos são comer, dormir e descansar. Tarefas desse tipo entram na galeria dos hábitos porque são repetidas diversas vezes e respeitadas na rotina.

E se estudar fosse uma atividade de importância nível ômega? E se colocássemos na nossa agenda o momento do estudo como um momento tão importante que abríssemos mão de dividi-lo com outras distrações e atividades?

Quando você conseguir encarar o estudo como importante o suficiente para dizer não ao celular vibrando ou à notificação do Facebook, você começará a criar responsabilidade sobre esse momento da sua agenda que lhe ajudará a ver o estudo como um hábito e não um peso na sua vida.

4. Tenha método

É importante entender que a criação de um hábito é um processo e pode demorar um pouco, mas que empreender esse caminho vale https://www.acheterviagrafr24.com/prix-viagra/ a pena. Em nosso curso completo do Mapa do Enem vemos, por exemplo, que há vários métodos para transformar algo em um hábito, mas a persistência durante os primeiros 60 dias é fundamental. Depois disso fica muito mais fácil.

Por que eu não consigo estudar?

Por que eu não consigo estudar?

Você tenta. Faz café, bebe água, lava o rosto. Muda de posição na cadeira. Começa uma matéria. Pula para a próxima. Pula para outra! Espera aí: por que eu não consigo estudar?

Se você já se viu nessa situação ou está vivendo ela neste exato momento, não precisa se desesperar. É normal não nos sentirmos dispostos para o estudo uma vez ou outra. Mas se essa situação é recorrente, ela pode se tornar um obstáculo aos seus objetivos. Por isso, confira abaixo os principais motivos por trás desse comportamento e o que fazer para mudar.

 

Mas eu não consigo estudar!

O primeiro passo para conseguir solucionar um problema é entender a motivação por trás dele. Você passou por alguma situação que o deixou chateado recentemente? Se a resposta for sim, é bastante compreensível que você esteja com dificuldades de estudar.

Esse tipo de problema consome a nossa energia e o nosso foco. Isso compromete a nossa concentração nos estudos.

Quando acontecer algo desse tipo, você precisa parar um pouco e se dar o direito de sentir tudo isso. Processe o que está acontecendo. Somente assim você terá condições de entender a situação e buscar formas de superá-la.

Mas atenção: tenha cuidado para não se afogar em seus próprios problemas e perder o controle das coisas. Faz parte da vida passar por situações desagradáveis. O problema é que ela, infelizmente, não espera a gente se recuperar.

Se você não estiver conseguindo superar essa situação sozinho, talvez seja o momento de procurar alguém para conversar ou até mesmo buscar ajuda de um profissional. Agora, se você não passou por nenhuma situação difícil recentemente e ainda assim se depara com a síndrome de “não consigo estudar”, o seu problema pode ser outro.

 

Cuidando do sono

Você se planeja, promete que vai estudar e quando se dá conta, passou o dia inteiro dormindo. Se na hora que você inicia seus estudos sente um sono incontrolável, você pode estar fazendo alguma coisa errada na hora de dormir.

Para não ter vontade de cochilar quando for estudar, é preciso ter uma rotina regular de sono. É muito importante tentar ir dormir e acordar mais ou menos o mesmo horário.

Um boa maneira de combater o sono é evitar alimentos pesados antes de uma sessão de estudos. Tome cuidado também com o excesso de atividades físicas à noite. Sim, dormir, praticar exercícios e se alimentar bem são muito importantes para nossa saúde e desempenho nos estudos, mas em excesso podem acabar fazendo mal.

Agora, se o seu problema for sono de menos, alerta vermelho! Não adianta passar a noite acordado estudando e não ter disposição o resto do dia, né?

 

Criando hábitos

Se o seu problema é nem sono e nem uma decepção na vida, o motivo por trás da sua dificuldade de estudar pode ser a falta de hábito. Se você não tem o costume de passar longas horas estudando, no início pode ser um pouco mais trabalhoso de você se acostumar. A notícia é que é possível mudar isso e não tem mistério nenhum!

Algumas ações simples podem ajudar o seu cérebro a desenvolver um hábito mais facilmente e, para isso, é preciso você incluir na sua rotina de estudos um gatilho e uma recompensa claros.

O gatilho é uma coisa que você sempre vai fazer antes de uma sessão de estudos. Pode ser escovar os dentes, tomar um banho ou até mesmo beber um copo de água gelada. É muito importante que você repita isso todas às vezes, para ajudar a fixar aquele comportamento em sua cabeça.

 

Estabelecendo recompensas

Além disso, é essencial estabelecer uma recompensa. Ela pode ser um doce, um cochilo depois do estudo ou um episódio daquela sua série favorita. Esse tipo de reconhecimento irá ajudar a reforçar positivamente aquele comportamento em sua mente, como algo que lhe fornece alguma coisa boa no final.

Assim, depois de um tempo, o que exigia muita força de vontade, passa se tornar cada vez mais natural. Mas é importante não ir com muita sede ao pote! Comece devagar, com sessões de estudo mais rápidas e vá aumentando conforme for ganhando prática.

Entender os motivos por trás do seu problema e tomar as atitudes certas diante dessas situações, tornará mais fácil vencer essa barreira e continuar seus estudos sem preocupação. O importante é sempre se lembrar de que todos temos capacidade de estudar e vencer desafios na vida, só é preciso um pouco de prática. Os maiores gênios começaram de algum lugar e com você não será diferente.

 

Agora que você já sabe como driblar a voz que diz “não consigo estudar” em sua cabeça, é hora de botar a mão na massa e se dedicar muito para o Enem!

3 passos práticos para aprender a como ler mais rápido

3 passos práticos para aprender a como ler mais rápido

Um dos primeiros desafios de começar a estudar para o Enem é olhar para a pilha acumulada de matérias e acreditar que não dá tempo de ler tudo aquilo. Ou que, no mínimo, já vai ser o ano de 2087 quando você acabar. Embora seja exagero, é necessário admitir que a quantidade de leitura e estudo exigida para fazer a prova é bem grande. E isso pode assustar um pouco. Para aliviar essa tensão e otimizar os estudos, conheça algumas dicas que irão lhe ajudar a conhecer os 3 passos práticos para aprender a como ler mais rápido.

A leitura dinâmica

Antes de começarmos, é preciso saber que estudo de como ler mais rápido e otimizar esse hábito é conhecido como leitura dinâmica. A partir dele, descobriu-se que a que a maioria das pessoas têm o hábito de pronunciar silenciosamente cada palavra que lê.

Essa prática faz a leitura render muito mais. Por isso, se você se acostumar a ler sem pronunciar cada sílaba, demorará menos tempo. 

Só que na prática não é tão fácil assim. Por isso, é preciso seguir alguns passos para aprender a como ler mais rápido.

 

1. Leia grupos de palavras

Ao invés de ler uma palavra por vez, leia grupos de palavras, frases e até linhas inteiras. Aprenda a elaborar, organizar e compreender esses blocos de informação. Com isso a velocidade com que você lê, triplicará. Nosso cérebro é muito mais rápido que nossa vocalização, ou seja, a pronúncia mental que fazemos na hora da leitura atrasa esse processo. Busque aprimorar essa técnica para aprender a como ler mais rápido.

Mas é importante ressaltar que esse tipo de leitura precisa ser praticada para alcançar efetividade, ou seja, teste, aprenda, e aí sim use em seus estudos, para não correr risco de estar estudando errado.

 

2. Direcione a leitura

Uma outra dica simples é utilizar o dedo ou uma caneta para guiar os olhos durante a leitura. O objetivo principal é direcionar o olhar para as palavras e diminuir distrações. Faça o teste e veja como realmente ajuda mais.

 

3. Treine com aplicativos

Se você estiver achando um pouco difícil ainda, tudo bem. Até porque nós não estamos acostumados com essa leitura. Mas sabia que existem aplicativos e sites que nos ajudam a desenvolver essa capacidade de ler mais rápido.

O aplicativo para PC Spritz, por exemplo, facilita os métodos citados. Para dar maior velocidade a sua leitura, as palavras piscam na tela, fazendo com que você se concentre em uma por vez. Conforme o usuário vai se acostumando com o sistema, pode acelerar o display que mostra as palavras.

A velocidade de leitura proposta pelo Spritz vai de 250 até 1000 palavras por minuto. No começo pode ser difícil se adaptar a ler com uma velocidade tão grande. Porém, com o tempo, o cérebro se acostuma, e a tendência é que se torne uma atividade natural. Com a velocidade máxima deste app, é possível ler um livro de 300 páginas em menos de 90 minutos.

 

Agora que você sabe mais sobre como ler mais rápido, que tal testar essas dicas? O seu estudo vai passar a render muito mais!

Como aprender mais rápido: tudo o que você precisa saber

Como aprender mais rápido: tudo o que você precisa saber

Você acha que não vai dar conta de estudar tudo o que tem pela frente para enfrentar o Enem? Se sente desesperado e ansioso com a  grande quantidade de matéria? Tudo isso é extremamente normal. É preciso enfrentar uma porção considerável de estudo para se preparar para enfrentar essa prova. E é por isso que você precisa tirar o máximo de cada momento seu de estudo e encontrar formas de como aprender mais rápido. Continue lendo o texto para saber como!

Não espere um milagre

O desejo mais comum dos estudantes que estão se preparando para o Enem é poder diminuir a quantidade de esforço no estudo para poder ter vida social e descanso. Afinal de contas, ninguém é de ferro, não é mesmo? Só que é preciso entender que não existe uma fórmula mágica que subitamente alivie seus ombros do peso de estudar. Se você quer saber como aprender mais rápido, então estude correto.

Pode ser um pouco frustrante essa resposta, pois na nossa cabeça saber como aprender mais rápido parece ser a mesma coisa que estudar menos e nem sempre é assim. Aliás, aprender e estudar não são sinônimos. Estão relacionadas, mas são coisas diferentes. É possível que você estude e não aprenda nada; assim como é possível aprender algo sem ter estudado.

Como nosso foco é a preparação para o Enem, é importante ressaltar que é essencial que se estude sim, mas isso não significa perder tempo com estudo errado, aquele que é cansativo e que não faz você aprender de verdade. Saber como aprender mais rápido não é necessariamente estudar mais rápido, mas sim estudar menos com mais qualidade.

 

Saiba hierarquizar

Estude a matéria certa no momento certo. Dedicar-se a um conteúdo que não é essencial e nem importante que você estude agora, enquanto negligencia outros mais relevantes é um meio de você ter um estudo improdutivo. Você passou um tempo estudando, mas não era o que você deveria estar fazendo naquele momento.

Imagine que você ama História e detesta com todas as forças Matemática. Você tem uma prova sobre trigonometria daqui a dois dias, enquanto seu teste sobre História do Brasil é só semana que vem. Qual você escolhe estudar? A resposta é bastante óbvia, mas quantas vezes não deixamos de nos dedicar ao que realmente precisamos porque não gostamos ou temos alguma dificuldade naquela matéria?

Isso se chama priorização e por mais que esse exemplo deixe bem claro qual é o melhor caminho, nem sempre ela é levado em conta na hora de organizar os estudos. Para dominar a arte de como aprender mais rápido você precisa gastar sua energia de estudo onde você precisa mais.  Estudar o conteúdo certo na hora certa lhe ajudará a ser mais produtivo e menos desgastado, porque você soube dividir seu tempo de acordo com suas prioridades.

 

Tenha método

Nós já falamos em alguns outros posts do blog a importância de se ter um método para tornar seus estudos mais eficientes. Você pode conferir mais sobre o assunto acessando-os, mas por enquanto é importante você se perguntar para cada matéria: como é melhor eu estudar isso? É lendo várias vezes ou uma leitura seguida de marcação já é suficiente? Preciso escrever um resumo ou posso fazer um mapa mental? Preciso ler tantas vezes mesmo a teoria ou já posso depois de uma leitura ir para as questões?

Às vezes perdemos muito tempo fazendo coisas que não estão efetivamente nos ajudando a aprender e isso tudo faz com que gastemos horas a mais de estudo e muito mais esforço mental para conseguir aprender do que deveria. Por isso, sempre busque novas maneiras de tornar o seu estudo mais eficiente e efetivo.

 

Tenha foco e concentração

Se você realmente quer saber como aprender mais rápido e melhor, é preciso manter o foco e a concentração. E, para isso, é muito importante que você se afaste das distrações. Todos sabemos que o Facebook é capaz de nos roubar importante horas de estudo sem que a gente sequer perceba.

 

Agora que você já https://www.viagrasansordonnancefr.com/viagra-en-ligne/ sabe essas dicas, chegou a hora de potencializar os seus estudos e aplicar a arte de como aprender mais rápido na prática!